quarta-feira, 3 de setembro de 2008

Ah!... Como o tempo passa!

Parece que foi ontem que cheguei em casa com meu "pacotinho" no colo. Tinha ficado 09 meses esperando e até que enfim ele tinha chego. Tinha chego a pessoa que ia mudar minha vida, que ia me ensinar que amor de mãe é o maior que existe, que ia me ajudar a ser uma pessoa melhor, enfim, tinha chego a minha Nathalia!!!
Nos primeiros dias, virou meu mundo de pernas pro ar, até eu pegar o jeitinho e as manhas da minha pequena, não foi fácil.
Mas quando os primeiros dias se passaram e tudo se normalizou, eu curtia muito cada dia da minha princesa.
O tempo passa tão rápido, nós mães temos a ansiedade de ver nossos pequenos crescerem, depois parece que queremos voltar atrás para viver tudo novamente, ficamos ansiosas para que eles sentem sozinhos, depois para que eles engatinhem, andem, tenham os primeiros dentinhos, falem logo e corretamente (sendo que é tão bonitinho eles falarem errado né), somos ansiosas para que saiam das fraldas, sejam independentes, mas de repente, acordamos e não temos mais bebês, eles cresceram, eles não querem mais nosso colo, não acordam mais no meio da noite querendo nossa cama, não choram mais por ter feito algum dodói (aliás, nem falam mais dódoi), já comem sozinhos e não querem mais brincar de cabaninha.
Ah, é tão bom ve-los crescer, fazer parte desse mundo, compartilhar com eles cada conquista, estar pertinho quando descobrirem que não ganharão sempre!
Me lembro do dia em que cheguei em casa, e estava lá com a Nathalia, e simplesmente ela levantou sozinha e saiu andando pela casa, fiquei abismada, foi no dia 05 de março de 2007 e ela tinha só 09 meses e meio, eu ia andando pela casa e ela ia atrás de mim, e quando caia se levantava sozinha sem se segurar em nada e saia andando novamente. Liguei na creche no dia seguinte para avisar que ela estava andando e pedir que cuidassem com tombos, e elas me disseram que ela já tinha andando o dia todo na creche. A partir desse dia, tinha que ter atenção redobrada, pois ela não parava mais quieta e não queria mais colo.
Me lembrando disso agora, me deu um aperto, parece que foi ontem, mas olhando minha filha agora, vejo que passou tão rápido, agora ela corre, pula, dança, fala de tudo e está ficando cada dia mais independente.
Será que não tem como desacelerar o tempo???? Será que não tem um jeito de controlar nossa ansiedade de querer ver nossos filhos crescerem logo? (por querer que eles sempre façam tudo antes do tempo, para serem considerados mais espertos).
É por isso que fotografo e filmo tudo que a Nathalia faz, para que quando ela crescer e a saudade apertar dentro do meu coração eu possa me lembrar de quando ela tinha um sorriso banguela, de quando ela era cheia de dobrinhas, de quando andava meio cambaleando, rs, de quando falava dódoi, supesa (surpresa), pepe (chupeta), popomo (hipopótamo) e de quando acordava no meio da noite, ia pra minha cama e dormia novamente pegando na minha orelha.

Ser mãe é isso, sentir uma eterna saudade!!!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...